Caminho Português

Onde a natureza e a história se entrelaçam em cada trilha. Uma fuga da rotina diária.

Você está procurando uma experiência que o faça se desligar do barulho e se reconectar com a natureza? A Caminho Português do Interior espera por você. Explore trilhas pelas florestas exuberantes do norte de Portugal e pelas colinas onduladas que definem a fronteira.

Os roteiros mais populares do Caminho Português

Camino Francés Easy
241 Km
O Porto
12 Etapas
13 Noites
a partir de 1027 €
Veja o Tour
Grupos guiados en el Camino Francés
128 Km
Tui
6 Etapas
7 Noites
a partir de 539 €
Veja o Tour

Onde começar Caminho Português?

O Caminho Português de Santiago tradicional tem sua origem em Lisboa e percorre o norte de Portugal até chegar à Galícia. A entrada na Galícia é feita através de Tui e, embora seja um caminho eminentemente interior, conta com algumas etapas paralelas ao mar (especificamente, de Redondela a Pontevedra). Não confundir com o Caminho Português da Costa, embora ambas as rotas passem pelo Porto, seguem quase em paralelo e se unem em Redondela, são dois traçados com origens diferentes.

Com o aumento das peregrinações a Santiago de Compostela no século XII, o fenômeno teve grande acolhida em Portugal. Os pontos de partida mais comuns eram as principais cidades do país naquela época: Lisboa, Porto, Braga, Coimbra… De fato, dedicou-se um grande número de igrejas ao Santo Apóstolo Santiago, e muitas pessoas iniciaram sua peregrinação em terras portuguesas.

Lisboa en el Camino Portugués

A cidade de Lisboa, coroada pelo imponente Castelo de São Jorge.

Banhada pelo rio Tejo, Lisboa é a capital de Portugal e uma das cidades mais antigas da Europa.

A riqueza cultural e histórica de Lisboa é revelada por seus monumentos, ruas de paralelepípedos e praças. Desde a grandiosidade da Torre de Belém até o Mosteiro dos Jerônimos, a cidade tem traços de várias épocas que deixaram nela a sua marca.
Como Roma, tem sete colinas e é coroada pelo castelo mouro de São Jorge, um dos monumentos mais emblemáticos da cidade, que foi declarado Monumento Nacional.

A sua riqueza cultural e histórica faz de Lisboa o ponto de partida do Caminho Português. Começar essa rota na capital portuguesa permitirá que você conheça Portugal em profundidade por meio de suas cidades, fauna e flora.

DISTANCIA: ETAPAS: DURACIÓN: DIFICULTAD: INICIO:
372 Km 22 Etapas 23 Noches 3/5 Coimbra

Coímbra en el Camino Portugués

Declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO, a Universidade de Coimbra é uma das instituições acadêmicas mais antigas da Europa.

Localizada no coração de Portugal, Coimbra é a antiga capital medieval de Portugal por mais de um século devido à sua importância histórica e cultural durante a Idade Média.

Um dos edifícios mais notáveis da cidade é sua universidade, uma das instituições acadêmicas mais antigas da Europa e Patrimônio Mundial da UNESCO. O complexo universitário, conhecido como Paço das Escolas, inclui a impressionante Torre da Universidade, a Capela de São Miguel e outros edifícios históricos que refletem a evolução da universidade ao longo do tempo.
Os séculos de história de Coimbra deixaram uma marca profunda na cidade. De fortificações mouras, edifícios góticos e românicos e catedrais a contos e lendas, Lisboa é um tesouro da história portuguesa.De fortificações mouras, edifícios góticos e românicos e catedrais a contos e lendas, Coimbra é um tesouro da história portuguesa.

Traduzido com a versão gratuita do tradutor – DeepL.com

 

 

DISTANCIA: ETAPAS: DURACIÓN: DIFICULTAD: INICIO:
250 Km 15 Etapas 16 Noches 3/5 Porto

Porto en el Camino Portugués

Patrimônio da Humanidade, o Porto é um tesouro cultural e arquitetônico às margens do Rio Douro.

Localizado na foz do rio Douro, o Porto é o terceiro município mais populoso de Portugal, atrás apenas de Lisboa e Vila Nova de Gaia. O porto de Cale ou “Portus Cale” em latim (era assim que o Porto era chamado nos tempos antigos e de onde vem o nome do país luso hoje) era uma parada frequente para muitos navios franceses devido à sua posição estratégica.

Embora sua origem como enclave comercial remonte aos tempos gregos, foi somente na época medieval que ela se tornou uma área muito importante para o comércio da região. Também foi o foco de alguns conflitos.Isso levou à construção de uma grande muralha (cujos vestígios ainda podem ser vistos hoje), que foi concluída no final do século XIV.

O Porto foi declarado Patrimônio Mundial graças ao seu centro histórico, um dos mais belos da Europa. Atualmente, a cidade do Porto está consolidada como o segundo local de partida dos peregrinos, já que, de acordo com o balanço de 2019, 11,32% do número total de peregrinos que chegaram a Compostela partiram daqui.

 

DISTANCIA: ETAPAS: DURACIÓN: DIFICULTAD: INICIO:
196 Km 12 Etapas 13 Noches 3/5 Barcelos

Barcelos en el Camino PortuguésA cidade portuguesa de Barcelos está intimamente ligada ao símbolo do Galo, um emblema de boa sorte, prosperidade e justiça.

Atravessando a ponte velha sobre o rio Cávado, entramos em Barcelos, uma das cidades mais importantes no campo da arte minoica e parte da Rede de Cidades Criativas da UNESCO.

Suas origens remontam ao século XII e seu centro histórico abriga monumentos medievais, como as igrejas de Bom Jesus da Cruz e Nossa Senhora do Terço, e casas senhoriais que refletem a arquitetura e a cultura da época.

Um dos elementos mais emblemáticos da região é o galo de Barcelos, um símbolo da identidade da região e de Portugal. Essa ave está ligada ao Caminho de Santiago por meio de uma famosa lenda em que salvou a vida de um peregrino que estava enfrentando uma injustiça durante sua peregrinação.

Desde então, o galo tem sido associado à boa sorte, à justiça e à prosperidade na cultura portuguesa.

DISTANCIA: ETAPAS: DURACIÓN: DIFICULTAD: INICIO:
118 Km 7 Etapas 8 Noches 2/5 Tui

Tui en el Camino Portugués

A cidade de Tui foi declarada um local histórico-artístico e é considerada a porta de entrada à Galiza no Caminho Português de Santiago.

Do outro lado do rio Minho fica Tui, uma pequena cidade com pouco mais de 16.000 habitantes. Seu tamanho não a impediu de ser uma peça-chave na história da Galiza, pois se tornou a capital do reino da Suábia e uma das províncias do Reino da Galiza.

Durante a Idade Média, Tui foi saqueada por muçulmanos e vikings, mas quando se tornou uma mansão do bispo, a cidade se tornou um grande centro religioso e cresceu administrativa, comercial e militarmente. Atualmente, Tui ainda conserva em boas condições o conjunto histórico-artístico da cidade medieval daquele período.

Sua localização fronteiriça faz com que Tui seja considerada a “porta de entrada para a Galiza” do Caminho Português de Santiago de Compostela. O Museo Diosano, que pode ser visitado atualmente, era antigamente um hospital para peregrinos.

 

DISTANCIA: ETAPAS: DURACIÓN: DIFICULTAD: INICIO:
100 Km 6 Etapas 6 Noches 2/5 Vigo

Vigo en el Camino Portugués

Vista da cidade e do estuário de Vigo a partir do Parque Castro, no coração da cidade.

Às margens do Oceano Atlântico fica a cidade com o maior número de habitantes da Galiza, Vigo. Sua posição estratégica na costa noroeste da Península Ibérica lhe confere grande importância econômica e marítima. Além disso, seu porto, um dos mais proeminentes da região, não apenas facilita o comércio nacional e internacional, mas também impulsiona sua atividade pesqueira.

A arquitetura de Vigo representa a fusão perfeita entre tradição e modernidade. Seu centro histórico está articulado em torno do antigo bairro pesqueiro de O Berbés, de Interesse Histórico Turístico, onde se encontram ruas de pescadores e casas brasonadas. Por outro lado, há edifícios altos de estilo contemporâneo no centro da cidade e em seus arredores.

Localizadas na foz do estuário de Vigo, estão as Ilhas Cíes, um paraíso natural que faz parte do Parque Nacional Marítimo-Terrestre da Galiza. A uma curta viagem de barco do porto da cidade, você pode descobrir suas praias de areia branca, águas cristalinas e seus penhascos e dunas, lar de milhares de aves migratórias.

 

Nível de dificuldade Caminho Português

Dificuldade do perfil da rota Caminho Português

O Caminho Português é considerado uma rota de dificuldade média-baixa, caracterizada por um terreno mais suave e com pouca inclinação. Isso o torna uma opção adequada para peregrinos iniciantes que buscam uma experiência menos exigente fisicamente, famílias com crianças ou pessoas de mais idade.

Mesmo assim, o nível de dificuldade dessa rota pode variar de acordo com o ponto de partida, a condição física do peregrino e as condições climáticas no momento da viagem.

Distância

O Caminho Português completo a partir do Porto tem aproximadamente 250 km de extensão. Embora você também possa fazer menos quilômetros se decidir começar em outro ponto de partida, como Tui ou Baiona. A distância percorrida a cada dia pode afetar a sensação de dificuldade, por isso é importante planejar etapas que sejam adequadas ao seu nível de condicionamento físico.

Terreno

Ao longo do caminho, você encontrará seções com terreno variado, incluindo trilhas de terra, estradas rurais, trilhas na floresta e seções pavimentadas. Alguns terrenos irregulares ou rochosos podem ser encontrados em algumas seções, mas não devem representar um desafio.

Desnível

Embora haja seções de subidas e descidas, os desníveis dessa rota não são excessivamente íngremes, portanto, não deve ser um grande esforço físico.

Clima

O norte de Portugal e a Galícia têm um clima oceânico. As temperaturas são amenas no litoral (com ventos fortes no inverno) e mais frias no interior durante o inverno. No inverno, é comum que as temperaturas caiam consideravelmente, chegando a 0ºC em janeiro ou fevereiro. A precipitação também é comum. Intermitente e amena no outono e intensa e regular no inverno.

O que ver e fazer em Caminho Português?

O Caminho Português da caminhada de Santiago de Compostela oferece uma alternativa única e menos viajada ao popular Caminho Francês, dando aos peregrinos a oportunidade de mergulhar em uma jornada autêntica por Portugal e Galícia.

Peregrinos en el camino portugués

Ao longo dos séculos, o Caminho de Santiago tem sido uma ponte que liga pessoas de diferentes nacionalidades e crenças. Os caminhos ao longo dessa rota o levarão por aldeias rurais cheias de charme, cidades históricas e paisagens naturais magníficas. Desde a vegetação exuberante do norte de Portugal até as colinas e vinhedos ao longo da fronteira entre os dois países, cada passo está repleto de cultura e história.

Se você está procurando uma experiência enriquecedora que lhe permita se desconectar da agitação da vida cotidiana, o Caminho Português de Santiago o espera de braços abertos.

História do Caminho Português

O ímpeto da coroa e da igreja incentivou o desenvolvimento do Caminho Português. A história dessa rota remonta ao século XII, quando os primeiros peregrinos portugueses partiram por esse caminho místico para chegar a Santiago de Compostela, na Galícia, e visitar o sepulcro do apóstolo Santiago.

Quando Portugal se tornou independente do reino de Castela e Leon e após a descoberta do sepulcro do Apóstolo, a coroa portuguesa se interessou em promover intercâmbios culturais e econômicos entre os dois territórios.

A partir desse momento, os peregrinos portugueses e de outras regiões da Europa começaram a viajar para Santiago de Compostela a partir de vários pontos de Portugal, seguindo caminhos e rotas que se consolidaram ao longo do tempo.

A rota original segue a caminho das antigas estradas romanas e outros trilhos que já foram usados no passado. De fato, alguns vestígios das estradas construídas pelo Império Romano ainda podem ser vistos hoje.

A devoção ao apóstolo Santiago no século XII favoreceu o surgimento de peregrinações em massa por toda a Europa e levou à construção de templos e igrejas dedicados a ele. O apóstolo tornou-se o santo padroeiro de Portugal até o século XIV, quando foi substituído por São Jorge.

Tal era a importância dessa rota de peregrinação que atraiu várias personalidades importantes da época interessadas em visitar a cripta do Apóstolo Santiago: Henrique de Borgonha e Teresa de Leão, fundadores do Condado Portucalense; monarcas como Alfonso II, Sancho II, Isabella de Aragão; nobres como Leo de Rosmithal e Cosimo II de Medici e cronistas como Jerônimo Münzer, Claude Bronseval e Nicola Albani.

A popularidade e o apogeu do Caminho Português (e do Caminho de Santiago de Compostela em geral) caíram a partir do século XVII, com a chegada de grandes eventos, como a Revolução Francesa, a Reforma Protestante de Lutero e os desentendimentos liberais do século XIX. Esses eventos trouxeram consigo fome, pragas, guerras, secas e péssimas colheitas, o que fez com que as peregrinações fossem relegadas a segundo plano.

Já no século XX, as aparições de Fátima em 1917 contribuíram para o declínio do fervor jacobino. Isso fez com que o interesse religioso se concentrasse nessa pequena região, que se tornou um local de culto nacional em Portugal.

No final do século XX, o Caminho de Santiago foi reavivado e, portanto, o Caminho Português. Em 1993, coincidindo com o Ano Santo Xacobeo, as Administrações Públicas e as Associações do Caminho de Santiago do norte de Portugal e da Galícia fizeram um esforço para promover o Caminho de Santiago: distribuíram material promocional, melhoraram a sinalização, criaram postos de turismo, etc.

Esse trabalho deu resultado, pois o número de peregrinos no Caminho aumentou gradualmente a partir de então. A melhoria das condições das rotas, com o aumento das acomodações, da sinalização e dos itinerários, causou um efeito de atração que coloca, hoje, o Caminho Português como a segunda rota mais frequentada.

Por onde passa o Caminho Português de Santiago?

O Caminho Português de Santiago de Compostela fica a cerca de 250 quilômetros do Porto (é possível fazer menos quilômetros) e passa pelos distritos portugueses de Porto, Braga e Viana do Castelo. Uma vez em território espanhol, a rota entra na Galícia pela província de Pontevedra, terminando em Santiago de Compostela.

2 em cada 10 peregrinos seguem essa rota. Portanto, ela é considerada a segunda rota jacobina mais popular, depois do Caminho Francês. Isso se deve em grande parte à sua boa infraestrutura de serviços e à diversidade e beleza das paisagens dessa rota. Estes são alguns dos principais povoados pelos quais ela passa:

Porto

Porto, punto de inicio más popular del camino portugués

Localizado na foz do Rio Douro, o Porto é o terceiro município mais populoso de Portugal, atrás de Lisboa e Vila Nova da Gaia. O porto de Cale ou “Portus Cale” em latim (era assim que o Porto era chamado nos tempos antigos e de onde provém hoje o nome do país luso) era uma parada frequente para muitos navios franceses devido à sua posição estratégica.

Embora sua origem como enclave comercial remonte aos tempos gregos, foi somente na época medieval que ela se tornou uma área muito importante para o comércio da região. Foi também o foco de alguns conflitos. Isso levou à construção de uma grande muralha (cujos vestígios ainda podem ser vistos hoje), que foi concluída no final do século XIV.

O Porto foi declarado Patrimônio da Humanidade graças ao seu centro histórico, um dos mais belos da Europa. Atualmente, a cidade do Porto está consolidada como o segundo local de partida dos peregrinos, já que, de acordo com o balanço de 2019, 11,32% do total de peregrinos que vieram a Compostela partiram daqui.

Ponte de Lima

Ponte de Lima é hoje considerada a cidade mais antiga de Portugal. Diz-se que o Reino de Portugal surgiu aqui quando Dona Teresa de Leão reconheceu oficialmente a cidade como uma vila em 1123 d.C. e seu filho, o Rei Afonso I, foi proclamado o primeiro rei de Portugal.

Durante a Idade Média, Ponte de Lima foi um importante enclave geográfico, pois era parada obrigatória para todos aqueles que partiam para Astorga, Braga ou Santiago de Compostela.

O monumento por excelência da vila é a Ponte de Lima (que dá nome à cidade), cuja construção data do século XIV. Atualmente, ela ainda preserva cinco arcos de uma ponte romana original do século V. Ela também é de grande importância no Caminho de Santiago, pois era o único ponto em que o rio Lima podia ser atravessado na rota de Braga a Santiago de Compostela.

Valença do Minho

Mesmo na fronteira com a Galiza fica Valença do Minho, uma cidade estrategicamente localizada nas margens do rio Minho. Durante séculos, foi a primeira linha de defesa contra a vizinha Espanha. Por isso, a arquitetura militar ainda predomina em suas ruas, onde se destacam seus 5 quilômetros de muralhas.

Na Idade Média, tornou-se uma cidade de grande importância devido à sua localização estratégica no topo de uma colina, embora seu nome naquela época fosse Contrasta (“uma aldeia em frente a outra”), referindo-se à sua posição geográfica em frente a Tui. Outra das cidades relevantes do Caminho Português Original.

O monumento mais importante é, sem dúvida, a fortaleza. Ela é composta por duas áreas fortificadas conectadas pelas chamadas Portas do Meio. Ao sul, o Recinto da Coroada, mais pequeno e menos povoado, enquanto ao norte, o Recinto da Vila, abriga o núcleo medieval, o mais antigo do complexo. Em 1928, foi classificado como Monumento Nacional, o que significou o início de uma grande atividade turística e comercial, reforçada pela ascensão do Caminho Português.

Tui

Do outro lado do rio Minho está Tui, uma pequena cidade com pouco mais de 16.000 habitantes. Seu tamanho não a impediu de ser uma peça-chave na história da Galícia, pois se tornou a capital do reino suábio e uma das províncias do Reino da Galícia.

Durante a Idade Média, Tui foi saqueada por muçulmanos e vikings, mas quando se tornou uma residência episcopal, a cidade se tornou um grande centro religioso e cresceu administrativa, comercial e militarmente. Atualmente, Tui ainda conserva em boas condições o conjunto histórico-artístico da cidade medieval daquela época.

A situação da fronteira significa que Tui é considerada a “porta de entrada para a Galícia” do Caminho Português de Santiago de Compostela. O Museo Diosano, que pode ser visitado atualmente, era antigamente um hospital para peregrinos.

Pontevedra

A cidade de Pontevedra foi fundada, segundo a lenda, por Teucro de Troya, embora a história diga que sua origem se deve, na verdade, a um assentamento lacustre neolítico que tinha o rio Lérez como fonte de riqueza e defesa.

A localização estratégica do rio Lérez favoreceu seu desenvolvimento ao longo dos séculos, razão pela qual, durante o Império Romano, um centro populacional cresceu ao seu redor. Também foi construída a ponte ‘Puente del Burgo‘, que permitiu que o rio fosse atravessado pela Via XIX, que ligava Braga com Astorga, cujos trechos da estrada ainda são preservados e ao longo da qual o Caminho Português ainda corre hoje. Durante a Idade Média e também nos dias de hoje, Pontevedra é considerada uma cidade importante para a comunidade de peregrinos.

Ponte do Burgo al paso por Pontevedra

Caldas de Reis

Caldas de Reis é uma cidade com pouco menos de 10.000 habitantes e é conhecida por ser uma das vilas termais por excelência na Galícia. De fato, na época romana, era chamada de Aquae Celenis devido à qualidade de suas águas. Seu nome atual se deve ao fato de ter sido o lugar de nascimento de Alfonso VII de Borgonha, que se tornaria o rei do Império Leonês.

Na Idade Média, um hospital para peregrinos foi construído nessa cidade, que era propriedade do Arcebispado de Santiago, e várias igrejas românicas foram erguidas, ligadas ao Caminho Português de Santiago de Compostela, incluindo uma dedicada a São Tomás de Canterbury.

Padrón

A história de Padrón começa em 70 d.C., quando ainda era chamada de Iria Flavia. Nesse ano, Flávio Vespasiano lhe concedeu o Ius Latii (“lei latina”), o que permitiu sua prosperidade e urbanização.

Na época do Império Romano, Iria Flavia era um porto fluvial muito importante devido à sua localização na confluência dos rios Sar e Ulla. Também foi importante durante a Idade Média, quando também foi sede da sede episcopal sufragânea da Arquidiocese de Braga.

Embora a sede episcopal tenha sido transferida mais tarde para Santiago de Compostela, essa cidade não perdeu sua relevância, pois foi aqui que a tradição jacobina começou. De acordo com a lenda, a praia fluvial de Iria Flavia foi o local de desembarque do navio que trazia o corpo do apóstolo Santiago da Palestina.

Como os restos mortais do apóstolo foram transferidos para Santiago de Compostela, Padrón se tornou o início da rota para os peregrinos que chegavam por mar.

Lugares e monumentos que você não pode perder no Caminho Português

Catedral de Santa María de Tui

Catedral de Santa María de Tui

A Catedral de Santa María é o maior expoente artístico da cidade de Tui. Essa catedral, a única das Rias Baixas, começou a ser construída em 1120, embora só tenha sido totalmente concluída em 1225.

Sua estrutura é romana, embora vários elementos góticos tenham sido adicionados posteriormente, como a fachada principal, considerada a primeira obra gótica na Península Ibérica. Por outro lado, sua aparência fortificada é dada por suas torres com ameias. É também a única catedral galega que conserva um claustro em estilo gótico.

Gándaras de Budiño (Porriño)

As Gándaras de Budiño estão localizadas em Porriño, uma pequena cidade na província de Pontevedra. Este ecossistema natural cobre uma área de aproximadamente 700 hectares e sua proximidade com o Oceano Atlântico e sua umidade o tornam uma área pantanosa de grande valor natural para o meio ambiente.

Em suas áreas úmidas há espécies de plantas como salgueiros, taboas e droseras. Por outro lado, sua fauna e, em particular, o grande número de aves migratórias que têm sua área de reprodução nessa parte das Rias Baixas, faz desses ecossistemas pantanosos um local de grande interesse científico.

Ponte Sampaio

Esta ponte de origem romana atravessa o rio Verdugo em sua foz e liga as cidades de Soutomaior (Arcada) e Ponte Sampaio. Caracteriza-se por uma construção alongada de 10 arcos, entre os quais se encontram os talha-mares.

A famosa Batalha de Ponte Sampaio foi travada em Ponte Sampaio. Decisiva na Guerra da Independência da Espanha contra os franceses em 7 e 8 de junho de 1809, pondo fim a 5 meses de ocupação francesa.

Igreja da Virgem da Peregrina

Iglesia de la Peregrina, Pontevedra

A Igreja de La Peregrina é um exemplo magistral da arquitetura barroca do século XVIII. Seu projeto é atribuído ao arquiteto português Antonio Souto, que criou uma estrutura elíptica em forma de vieira, única na Galícia. A fachada principal é notável por seu conjunto escultural da Virgem Peregrina, padroeira da cidade, ladeada por duas elegantes torres sineiras.

A Igreja de La Peregrina tem sido um local de peregrinação e devoção desde sua construção, atraindo fiéis e visitantes. Sua localização próxima ao Caminho Português de Santiago de Compostela a tornou um importante destino para os caminhantes ao longo da Caminhada de Santiago de Compostela.

Ponte de Pontecesures

A história da ponte de Pontecesures remonta à época romana. Construída no século I d.C., era originalmente uma ponte romana de pedra sobre o rio Ulla, uma parte importante da Via Romana XIX, uma das grandes artérias romanas de comunicação da antiga Gallaecia.

Ao longo dos séculos, a ponte testemunhou vários eventos históricos, incluindo confrontos durante a Idade Média entre os reinos da Galícia e de León.

Lugares alternativos para descobrir no Caminho Português

Se você é uma daquelas pessoas que gostam de explorar e também tem tempo suficiente para fazer isso enquanto caminha pelo Caminho de Santiago de Compostela, aqui estão alguns lugares interessantes que você pode visitar pelo Caminho Português:

Vila do Conde

É uma cidade litorânea no norte de Portugal, conhecida por suas belas praias e pelo charmoso centro histórico. Possui uma rica tradição marítima e uma marina, além de um festival internacional de curtas-metragens que atrai cineastas de todo o mundo. A cidade também é um importante centro de moda e desenho, com uma importante feira têxtil portuguesa.

Recomendamos visitar Vila do Conde em sua passagem por Fajozes, pois essa vila fica a apenas 12 minutos de carro.

Braga

É uma cidade localizada no extremo norte de Portugal. É a terceira maior cidade, logo após Lisboa e Porto. É famosa por seu patrimônio e eventos religiosos. É também um dos grandes centros culturais do país e seu ambiente universitário a torna uma cidade jovem e ativa.

Se você quiser visitar Braga, a melhor maneira de fazer isso é a partir de Barcelos, pois você pode chegar lá em apenas 24 minutos de carro.

Parque Nacional das Ilhas Atlânticas da Galícia

Uma paisagem marítimo-terrestre espetacular composta pelas ilhas de Ons, Cíes, Sálvora e Cortegada. É uma área natural protegida, caracterizada pelas águas cristalinas e pela areia branca que atrai cerca de 300.000 viajantes todos os anos. São o segundo destino mais visitado da Galícia, logo depois da Catedral de Santiago de Compostela.

A praia de Rodas, nas Ilhas Cíes, é, de acordo com o jornal The Guardian, a melhor praia do mundo. Além disso, esse complexo marítimo terrestre se destaca por sua fauna, seus sistemas de dunas e suas grutas marinhas.

Se você decidir se aventurar a visitar qualquer uma dessas ilhas, quando estiver a caminho de Redondela, poderá estender sua estadia por mais um dia, ir até Vigo (17 minutos de carro) e pegar um barco.

Combarro

Esta vila costeira fica a apenas 7 quilômetros da cidade de Pontevedra. É considerado um dos lugares mais bonitos da Galícia, que se destaca por seu centro histórico, onde os hórreos (celeiros elevados) e os cruceiros (cruzes de pedra) são os protagonistas.

É um dos melhores lugares para conhecer a arquitetura rural galega, onde predominam as casas térreas de pedra.

A cidade mais próxima de Combarro no Caminho Português é Pontevedra, que fica a 21 minutos de carro.

Valga

Pertencente à província de Pontevedra, Valga é uma cidade internacionalmente conhecida por seu tradicional festival Rapa das Bestas. Possui monumentos interessantes e edifícios históricos, como a Igreja de Santa María de Valga e a Torre de Catoira, que fazia parte do sistema defensivo da região. Além disso, suas paisagens verdes e trilhas para caminhadas permitem que você explore o interior da Galícia.

Recomendamos visitar Valga quando você chegar a Padrón, pois fica a apenas 7 minutos de carro.

História do Caminho Português

O ímpeto da coroa e da igreja incentivou o desenvolvimento do Caminho Português. A história dessa rota remonta ao século XII, quando os primeiros peregrinos portugueses partiram por esse caminho místico para chegar a Santiago de Compostela, na Galícia, e visitar o sepulcro do apóstolo Santiago.

Quando Portugal se tornou independente do reino de Castela e Leon e após a descoberta do sepulcro do Apóstolo, a coroa portuguesa se interessou em promover intercâmbios culturais e econômicos entre os dois territórios.

A partir desse momento, os peregrinos portugueses e de outras regiões da Europa começaram a viajar para Santiago de Compostela a partir de vários pontos de Portugal, seguindo caminhos e rotas que se consolidaram ao longo do tempo.

A rota original segue a caminho das antigas estradas romanas e outros trilhos que já foram usados no passado. De fato, alguns vestígios das estradas construídas pelo Império Romano ainda podem ser vistos hoje.

A devoção ao apóstolo Santiago no século XII favoreceu o surgimento de peregrinações em massa por toda a Europa e levou à construção de templos e igrejas dedicados a ele. O apóstolo tornou-se o santo padroeiro de Portugal até o século XIV, quando foi substituído por São Jorge.

Tal era a importância dessa rota de peregrinação que atraiu várias personalidades importantes da época interessadas em visitar a cripta do Apóstolo Santiago: Henrique de Borgonha e Teresa de Leão, fundadores do Condado Portucalense; monarcas como Alfonso II, Sancho II, Isabella de Aragão; nobres como Leo de Rosmithal e Cosimo II de Medici e cronistas como Jerônimo Münzer, Claude Bronseval e Nicola Albani.

A popularidade e o apogeu do Caminho Português (e do Caminho de Santiago de Compostela em geral) caíram a partir do século XVII, com a chegada de grandes eventos, como a Revolução Francesa, a Reforma Protestante de Lutero e os desentendimentos liberais do século XIX. Esses eventos trouxeram consigo fome, pragas, guerras, secas e péssimas colheitas, o que fez com que as peregrinações fossem relegadas a segundo plano.

Já no século XX, as aparições de Fátima em 1917 contribuíram para o declínio do fervor jacobino. Isso fez com que o interesse religioso se concentrasse nessa pequena região, que se tornou um local de culto nacional em Portugal.

No final do século XX, o Caminho de Santiago foi reavivado e, portanto, o Caminho Português. Em 1993, coincidindo com o Ano Santo Xacobeo, as Administrações Públicas e as Associações do Caminho de Santiago do norte de Portugal e da Galícia fizeram um esforço para promover o Caminho de Santiago: distribuíram material promocional, melhoraram a sinalização, criaram postos de turismo, etc.

Esse trabalho deu resultado, pois o número de peregrinos no Caminho aumentou gradualmente a partir de então. A melhoria das condições das rotas, com o aumento das acomodações, da sinalização e dos itinerários, causou um efeito de atração que coloca, hoje, o Caminho Português como a segunda rota mais frequentada.

Dicas se você for fazer Caminho Português

Qual é a melhor época do ano para fazer essa rota?

A melhor época para fazer o Caminho Português depende, logicamente, das preferências pessoais de cada peregrino e de suas condições de viagem.

Cada estação tem suas próprias vantagens e desafios. Mesmo assim, recomendamos as estações da primavera e do outono para percorrer o Caminho de Compostela, pois o Caminho Português tende a ser menos movimentado e as condições climáticas são mais favoráveis para a caminhada.

Lembre-se de que o Caminho Português é particularmente movimentado no verão, pois tende a coincidir com os meses de férias na Europa. No inverno, por outro lado, as temperaturas podem ser frias, a maioria das acomodações geralmente está fechada e você pode encontrar condições climáticas difíceis.

Dicas para o Caminho Português

O Caminho Português de Santiago de Compostela é uma peregrinação antiga que oferece uma experiência única e enriquecedora. Embora fazer o Caminho de Santiago seja uma experiência que, em princípio, pode ser vivenciada por todos, você deve ter em mente vários aspectos que o ajudarão a se preparar antes de se aventurar no Caminho:

  1. Treine fisicamente se não estiver acostumado a caminhar longas distâncias. Caminhe diariamente 2 a 3 meses antes de iniciar sua peregrinação).
  2. Leve apenas o essencial em sua mochila. Evite carregar itens desnecessários para evitar fadiga e estresse.
  3. Escolha um bom calçado que você já tenha usado antes. A melhor opção é uma bota de caminhada leve e confortável, de cano baixo ou médio.
  4. Beba entre 250 ml e 500 ml de água meia hora antes de começar a caminhar. Além disso, tente comer alimentos ricos em carboidratos e minerais, pois eles o ajudarão a repor a energia após a caminhada.

Lembre-se de que cada peregrinação é única e pessoal, portanto, reserve um tempo para refletir e encontrar seu próprio significado nessa experiência. Se precisar de informações mais detalhadas, você pode acessá-las aqui.

 

Por que reservar com a Galiwonders?

Do seu jeito. Feito sob medida.

Elaboraremos um itinerário adaptado às suas necessidades, preferências e orçamento e reservaremos todos os serviços para você. Você aproveita a viagem.

Estamos em El Camino

A Galícia é a nossa casa. Percorremos todas as rotas do Caminho e temos contato direto com os prestadores de serviços do Caminho.

Também somos viajantes

Falamos vários idiomas, moramos no exterior e temos anos de experiência na organização de viagens para pessoas de todo o mundo.

Uma experiência inesquecível

Centenas de peregrinos repetem ano após ano a experiência de viajar conosco. Queremos que você seja um deles. Por isso, nos esforçaremos para tornar sua viagem única e inesquecível.

Solicita tu itinerario
Rellena el formulario y recibirás el presupuesto en tu email en 24-48h.
×

Atención comercial | Commercial Attention

×